As pessoas na antiga China diziam: “Sendo tolerante, se ganha paz e tranquilidade; sendo humilde alcança-se um novo horizonte”. Se uma pessoa tem um caráter nobre, pode tolerar e não discutir incluindo, quando há um mal entendido, deste modo, evita muitos conflitos e preocupações, e desfruta de uma vida mais livre.

Desse modo, a tolerância é a chave para a prosperidade. Confúcio dizia: “A falta de tolerância por pequenos incômodos destrói grandes projetos”. Tempo depois, Si Maqian ( 145 a.c – 90 a.C; de   autor “registro Históricos” na dinastia Han do Oeste) Comprovou “Um pouco de paciência é uma grande estratégia”.

 

Na cultura tradicional da China dizia que: “A tolerância pode trazer muitas bênçãos, e a harmonia pode trazer boa sorte” e “Sendo perseverante, pode-se vencer qualquer dificuldade; sendo tolerante se pode conseguir a harmonia suprema”.

Uma conhecida expressão de “canção de cem tolerâncias”, escrita por Zhang Gongyi, durante a Dinastia Tang, “Uma pessoa compassiva tolera o que gente comum encontra dificuldade em tolerar. Uma pessoa sábia tolera o que a gente comum não pode tolerar. Tolerar as dificuldades, sendo perseverante, produz lucros. Tolerar a solidão sem ser libidinoso atraem saúde”.

Lin Zexu (1785-1850),governador das províncias de Guangdong e Guangxi, durante a Dinastia Qing, tinha um grande letreiro, colocado na sua parede de seu corredor que dizia: “Controle a raiva”.

Um dia, irritado por um assunto de negócios que estava trabalhando, não pode controlar sua fúria e quebrou uma xícara de chá contra o chão. Ao olhar o cartaz  “Controle a raiva”, entendeu quem havia se equivocado outra vez, e, quando via a sua servente limpando o seu desastre, ele parou e limpou ele mesmo por sentir o seu arrependimento.

Na vida cotidiana, sempre tende-se a perder a paciência ao lidar com os outros, isso é sinal de falta de autocontrole. Uma pessoa que tem mau humor deve aprender com Lin Zexu como melhorar seu autocontrole, olhar para si mesmo para reconhecer seus erros, prestar atenção e “controlar a raiva” e utilizar a razão para convencer os outros. Nunca seja complacente com a raiva, ou o que causa mágoa aos outros.

Ira versus Saúde

A medicina na China antiga se aprofundou sobre a origem da ira e o seu impacto para o corpo humano. Seus descobrimentos demonstraram que a ira vem das frustrações: que a ira  e a frustração são gêmeas. A frustração conduz a explosão da raiva. Aquela mágoa “consumira a sua energia”, aumentando a “temperatura do fígado” e, finalmente, machucando o fígado. Todos esses são princípios bem conhecidos dentro da cultura tradicional chinesa.

São muitos os exemplos da vida diária de pessoas que morreram de raiva e mágoa por causa de uma situação que não podiam suportar. Na China antiga, entendiam que não era uma questão menor a ser pensada; muitos estudos sobre como superar este sofrimento foram realizados. Um velho ditado dizia: “Talvez, um prato cheio de arroz não pode encher o estômago, porém não poder provar o próprio ponto de vista, pode fazer você explodir e causar a sua própria morte”.

 

A respeito disso, existe uma história muito conhecida da época dos três reinos. Zhou Yu (175-210) era um grande general que queria vencer à todo o custo o general, Zhu Geliang. Sempre buscava a oportunidade para derrotá-lo, de todas as maneiras e, se fosse possível, assassiná-lo. Todavia,  Zhu Geliang estava a um passo a diante. Um dia, ZhouYou organizou uma competição de gênio, porém o resultado foi que o mesmo foi vencido com uma grande humilhação. E, nesse momento, manifestou uma ira tão grande e deu tantos gritos de desesperos que chegou a vomitar sangue e morreu, devido a frustração.

A ira de muita gente vem da ganância, inveja e do egoísmo. Muitas brigas, entres vizinhos, colegas, familiares e incluindo até estranhos nas ruas, discutindo por uma pequena perda ou ganância. Se as pessoas puderem tratar a reputação e a imagem pessoal com leveza, naturalmente a raiva se reduzirá e já não explodirá por uma pequena perda ou ganância.

Aprofundando em tal sentido , as escolas Buda e Tao ensinam que, de fato, a ganância, a inveja e o egoísmo, além de levar a raiva e outras ações que geram perda e sofrimento aos outros, diminuem nosso “de”. “DE” e uma matéria branca em outro espaço que se obtém por fazer coisas boas e suportar sofrimentos, que é trocado por tudo que se obtém pela vida; enquanto que “Yeli” é a matéria negra que se obtém por fazer coisas más, que geram uma retribuição respectiva. Quando explodir num ataque de ira, você estará entregando a outra pessoa um “de” proporcional ao sofrimento que você causou.

Na evolução da vida, sempre encontramos muitas coisas irritantes. Portanto, se podemos mudar nossa mentalidade zangada por uma mais compassiva e desinteressada, então podemos converter a raiva em harmonia e alcançar um nível de consciência mais alto. Na antiga China, eles dão ênfase em praticar a tolerância, por que uma pessoa sábia não permite que a raiva e o ódio dominem a sua vida.

Não fique zangado com a pessoa que ti prejudicou, porque, talvez ele tenha ajudado a moderar a tua vontade. Seja grato pela pessoa que te recriminou, como te ensinou a resistir. O bom humor modifica o ambiente e quebrar as barreiras entre as pessoas. Quando alguém é capaz de enfrentar um insulto com um sorriso no rosto e responder com uma voz e um coração calmo, a sabedoria naturalmente emergirá.

Share
Categorías: Portuguese


Video Destacados

Video Destacados

Ad will display in 09 seconds

Exercícios incríveis que podem ser feitos em casa para você que não está na academia de musculação

DESTACADAS Ver más